Atualizado em: 19 de janeiro de 2021

O climatério e menopausa influenciam muito a vida das mulheres na meia idade, entre 45 e 59 anos. Por isso, é preciso entender o que são e o que acontece.

Por volta dos 50 anos, a menopausa aparece no horizonte mudando as nossas perspectivas de vida.

Até aí, esse assunto ainda não faz parte do nosso repertório de preocupações.

Estamos na correria, pensando em família, filhos, trabalho, ganhar mais dinheiro, ter mais tempo para descansar, realizar aquele sonho de tanto tempo.

Menopausa? Como assim? Alguém ainda fala em climatério….!!!

São tantas dúvidas que aparecem! Tantos acontecimentos! Hormônios indo embora, terapias de reposição, calores, insônia, libido diminuindo, etc, etc.

ESPECIALISTA TIRA DÚVIDAS

Para entender de vez as fases do climatério e da menopausa e viver melhor a meia idade, dos 45 aos 60 anos, por aí, conversamos com uma especialista.

Em uma entrevista detalhada, a Dra. Ana Carolina Zani, da Clínica Ella, médica pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP, Título em Ginecologia e Obstetrícia pela Febrasgo, entre outros, explica as principais dúvidas.

Dra. Ana Carolina Zani: o que acontece durante o climatério e a menopausa.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CLIMATÉRIO E MENOPAUSA?

Embora sejam bastante confundidos, os conceitos de climatério e menopausa são simples: menopausa é um dia específico, climatério é um período da vida.

A menopausa é a data da última menstruação da vida da mulher, é um conceito objetivo. O climatério, por sua vez, é um intervalo de tempo que vai do final da vida reprodutiva da mulher até a senilidade.

QUANDO COMEÇA O CLIMATÉRIO?

O climatério tem início nos primeiros sintomas da queda hormonal, que podem aparecer mesmo antes da menopausa. Como cada mulher inicia esses sintomas em um momento único, não há como precisar a exata duração dele. Em média, os sintomas iniciam por volta dos 45 anos de idade e consideramos o início da senilidade aos 65 anos.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CLIMATÉRIO?

Os sintomas do climatério (chamados em conjunto de Síndrome Climatérica) estão relacionados à falta de ação dos hormônios femininos (estrogênio e progesterona) no organismo.

São eles: ondas de calor, que podem vir acompanhadas de palpitações (sensação de coração acelerado), sudorese e calafrios, insônia, perda de memória, irritabilidade, atrofia da mucosa vaginal (geralmente manifestada com ressecamento e dificuldade de lubrificação durante a relação sexual – que pode ser o gatilho para outros problemas sexuais), lipossubstituição mamária (as mamas ficam mais flácidas) e, mais próximo ao final do climatério, alteração do metabolismo de reabsorção óssea (aumento do risco de osteoporose).

E QUANDO COMEÇA A MENOPAUSA?

A menopausa acontece em torno dos 48-49 anos da mulher. É definida como a parada da menstruação. Uma coisa importante sobre ela: só podemos chamar de menopausa quando a mulher fica mais de um ano sem menstruar. Ou seja, a menopausa é um diagnóstico retrospectivo. Se hoje, janeiro de 2021 acontece sua última menstruação, você obviamente não vai saber que é a última, será preciso aguardar um ano e aí sim poderemos falar que sua menopausa aconteceu em janeiro de 2021.

Essa definição é baseada no fato de que antes da menopausa em si, muitas mulheres passam por um período de instabilidade hormonal que as leva a apresentar menstruações mais espaçadas.

QUAIS AS FASES DA MENOPAUSA?

Menopausa:

Entendendo que a menopausa é a data da última menstruação da mulher, fica fácil entender essas fases, não é? Acho que vale a pena explicar aqui um pouco sobre as fases hormonais da mulher.

Antes da primeira menstruação (que chamamos de menarca), a menina está na fase pré-puberal. Após a menarca, ela entra num período da vida chamado menacme – é a fase em que seus ovários estão a pleno funcionamento, produzindo óvulos de maneira cíclica e, como consequência, levando a mulher a menstruar mensalmente. A menacme vai da primeira à última menstruação da vida da mulher, ou seja, da menacme à menopausa, e é o período em que a mulher pode engravidar.

Perimenopausa:

Algumas mulheres iniciam os sintomas do climatério antes da menopausa. A esse período entre os sintomas aparecerem e a menstruação parar chamamos de período perimenopausa. Importante lembrar que a mulher na perimenopausa ainda pode engravidar, devendo preocupar-se com métodos para evitar a gestação caso não a deseje. Na perimenopausa, os hormônios oscilam entre a normalidade e a queda.

Pós-menopausa:

Por fim, o pós-menopausa é o período da vida após a menopausa, ou seja, engloba ainda o climatério e a senilidade (após o 65 anos de idade). Na pós-menopausa, os hormônios femininos estão em nível baixo, já que a produção de grande parte deles é realizada pelo ovário, órgão que para de receber estímulos para ser funcional após a menopausa.

O QUE É MENOPAUSA PRECOCE?

A menopausa precoce é a que ocorre antes dos 40 anos de idade da mulher. É importante salientar que os hormônios femininos têm grande importância para as mulheres abaixo dos 40 anos, principalmente para manter os ossos saudáveis e reduzir o risco de doenças metabólicas. Assim, se a menopausa ocorre antes da idade considerada normal para tal, a mulher deve ser avaliada por uma ginecologista e a reposição hormonal é indicação em praticamente 100% dos casos.

É POSSÍVEL RETARDAR O INÍCIO DO CLIMATÉRIO OU DA MENOPAUSA?

Infelizmente, ainda não. Digo ainda porque não sabemos o que o futuro nos aguarda. Quando nascemos, nossos ovários já vem com uma quantidade de células precursoras dos óvulos e, quando elas acabam, ocorre a menopausa.

A GESTAÇÃO TARDIA AFETA O CLIMATÉRIO OU A MENOPAUSA?

A gestação tardia é uma realidade cada vez mais frequente, o que considero muito natural devido ao impacto que uma gestação traz na vida pessoal e profissional da mulher.

A ocorrência da gestação não afeta o climatério ou a menopausa. O que ocorre é que muitas vezes essas mulheres que resolvem engravidar após os 40 anos não conseguem, seja porque a qualidade dos óvulos vai caindo com o passar dos anos (aumentando o risco de doenças cromossômicas no bebê – principal causa de perdas gestacionais) seja porque já se encontram na perimenopausa quando decidem ter um filho. E acabam por necessitar de tratamentos para engravidar.

Hoje, com toda a ciência e tecnologia que temos disponível, é aconselhável que as mulheres que percebam que, se vão adiar a maternidade para após os 40 anos, realizem o congelamento de óvulos preferencialmente antes dos 35 anos. Assim, caso não consigam engravidar espontaneamente e precisem de tratamento, terão óvulos próprios de melhor qualidade para serem usados.

AS BRASILEIRAS ESTÃO INFORMADAS SOBRE CLIMATÉRIO E MENOPAUSA?

No geral, acredito que sim. Ainda tem muito mito em torno desse período da vida, por exemplo, muitas mulheres acham que todos os sintomas dessa fase são normais e que têm de se habituarem a eles quando, na verdade, podem ter uma melhora na qualidade de vida muito importante com um tratamento hormonal.

Existe muita dificuldade em nossa sociedade, também, em encarar os problemas sexuais que aparecem no climatério. Por isso a importância de manter um seguimento ginecológico de rotina (anual), tanto antes como após a menopausa, pois isso permite a abordagem de todas as questões que surgem com o climatério antes de que os problemas tomem proporções maiores do que deveriam.

COMO AS MULHERES ENCARAM O DIAGNÓSTICO DE MENOPAUSA?

Quando explico a elas, como estou fazendo aqui, que é um período natural de suas vidas, que é esperado e que temos recursos para passar por essa fase da melhor maneira possível, elas encaram de maneira positiva.

Algumas comemoram o fim das menstruações. Outras temem o uso de hormônios (que nem sempre são necessários, é importante falar sobre isso). Enfim, todo tipo de diagnóstico traz dúvidas, medos, anseios. Nada que uma conversa clara e empática não possa resolver, em minha opinião.

O QUE ESPERAR APÓS O CLIMATÉRIO?

COMO ENCARAR A MENOPAUSA

Para finalizar, vale lembrar que hábitos de vida saudáveis contribuem sobremaneira para amenizar os sintomas climatéricos. Alimentação balanceada, prática de atividade física, ritmo de vida não muito acelerado, isso tudo contribui para melhora da saúde mental da mulher e, pela minha experiência em consultório, altera a forma como a mulher encara essa fase de sua vida.

Achar que “a vida acabou” após a menopausa não deve acontecer, principalmente com o aumento da expectativa de vida da mulher. Muitas mulheres aos 40-50 anos estão no ápice do êxito da vida profissional e pessoal, não podemos deixar que a menopausa atrapalhe isso.

Foto de capa: Flickr.

……………………………………………………………………………………………………………………………….

Quer mais histórias como essa? Inscreva-se no boletim informativo semanal SempreBem!

Compartilhe com as amigas!

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!