Atualizado em: 17 de agosto de 2020

Para as mulheres é mais difícil continuar a trabalhar depois dos 40 anos, piorando aos 50. O empreendedorismo, networking, atualização e auto conhecimento são caminhos para novas possibilidades.  

O mercado de trabalho da mulher depois dos 40 anos, em geral, torna-se um desafio que ficou mais difícil após a pandemia da Covid-19.

Continuar trabalhando depois dos 40, 50 anos exige mais da mulher. Mas, costumamos ser criativas e podemos encontrar soluções na hora de vencer preconceitos e dificuldades.

Para entender melhor o mercado de trabalho para mulheres com mais de 40 anos, conversamos com Mórris Litvak, o CEO e fundador da Maturi, uma plataforma pioneira no Brasil, que reúne oportunidades de trabalho, desenvolvimento pessoal, capacitação profissional, empreendedorismo e networking, com o objetivo de conectar pessoas maduras e experientes em busca de atividade e ocupação entre si e com empresas.

Mórris Litvak, CEO da Maturis: “Empreendorismo como saída para trabalhar depois dos 40 , 50 anos”.

Aqui, Mórris Litvak explica as dificuldades para a mulher trabalhar depois dos 40, 50 anos, como é o mercado para a mulher madura e as opções para ela seguir trabalhando e se realizando.

Como trabalhar depois dos 40, 50 anos

A Maturi surgiu em 2015 colocando em destaque as incríveis dificuldades de uma pessoa na faixa dos 50 anos no mercado de trabalho. Hoje, ela tem 140 mil pessoas cadastradas em todo o país.

Mórris Litvak explica que, há cinco anos, as empresas não tinham praticamente nenhum interesse em contratar pessoas com 50 anos. Não se falava em temas como diversidade etária ou longevidade.

“De, 1,5 ano para cá isso mudou bastante até por causa da reforma da previdência que trouxe esse assunto à tona. De forma geral, as empresas, as pessoas começaram a perceber que a população está envelhecendo e que isso impacta também os negócios”.

Com a pandemia, mercado sofre retrocesso

Mercado de trabalho para as mulheres com mais de 40, 50 anos é mais difícil. Imagem: Freepik.

Nesse 2020, a pandemia da Covid-19 provocou um retrocesso nas tênues conquistas dos maduros no mercado de trabalho.

A pandemia impactou muito a empregabilidade dos 50+. Se, antes, já era difícil por causa do preconceito de idade, que é muito forte na cultura do mercado de trabalho brasileiro, agora ficou pior.

“Por causa da idade, a pessoa é automaticamente colocada em grupo de risco”, diz Mórris. “Existe um medo, um excesso de zelo, mas também um preconceito, uma fragilização dos mais velhos que coloca automaticamente essas pessoas como grupo de risco ignorando várias outras questões.”

Na hora de demitir, os 50+ são os primeiros. “Temos visto crescer demissões de pessoas mais maduras nesse momento e diminuir muito a contratação dessas pessoas também. Vemos isso com bastante preocupação.”

Preconceito da idade

O CEO da Maturis explica que as oportunidades de trabalho são diferentes para homens e mulheres na maturidade. Depende do segmento. Nessa faixa etária, as vagas operacionais são destinadas mais para mulheres, e as estratégicas, para homens.

“Geralmente, os homens acabam indo trabalhar como consultor e as mulheres estão mais abertas a outros tipos de trabalho. E, sim, as mulheres enfrentam mais preconceito da idade do que o homem, com certeza. E não só com 50, mas a partir dos 40, ela já começa a sofrer com esse preconceito do mercado de trabalho, por questões de estética e de julgamento.”

“A partir dos 40, a mulher já começa a sofrer preconceito no ambiente de trabalho”

Falta emprego, mas há trabalho

Recentemente, a Maturi realizou o MaturiFest 2020, um evento online que abordou as tendências do mercado de trabalho para os maduros.

O encontro, claro, discutiu a falta de emprego, mas concluiu que há trabalho. Também discutiu o empreendedorismo como saída para os maduros, principalmente empreendedorismo individual. E a necessidade de as pessoas 40+, 50+ de se atualizarem técnica e comportalmente.

“A startup também é um caminho para essas pessoas”, afirma o CEO da Maturis. “Mas, é preciso olhar para dentro, precisa se cuidar, ter auto conhecimento, buscar propósitos, fazer planos, buscar os sonhos, projetos de vida, se motivar, se conectar com pessoas, ver que não está sozinho nesse momento, que tem muita gente boa fazendo coisas incríveis nessa idade”.

Para ajudar as pessoas maduras a se atualizarem, a Maturis lançou a MaturiAcademy, durante o evento. A plataforma está oferecendo conteúdos e cursos online para o público sênior.

“Buscar auto conhecimento, networking, atualizar conhecimentos, cuidar de si. É um caminho para trabalhar depois dos 40, 50 anos”

Dicas para se reinventar

Mórris Litvak, um jovem engenheiro de software que se tornou especialista em longevidade, baseado em sua experiência na Maturis, dá essas dicas para você se reinventar no trabalho:

  • Se atualizar
  • Olhar além do emprego
  • Buscar alternativas
  • Abrir-se para o novo
  • Buscar o auto conhecimento
  • Olhar para dentro
  • Fazer networking, conhecer pessoas
  • Lidar com os jovens
  • Entrar de cabeça na tecnologia
  • Se empoderar
  • Manter a auto estima boa para não deixar o preconceito abalar
  • Saber que tem muita experiência profissional e de vida e que isso pode ser muito útil para muitas pessoas e empresas.

Já ouviu que toda crise pode ser uma oportunidade? Essas dicas são ótimas para você se reinventar e começar um novo capítulo em sua vida. O que você está fazendo para se manter produtiva?

Foto de capa: Unsplash.

Quer mais histórias como essa?

A nova maturidade: mulheres 50+, 60+ protagonizam mais essa mudança
Você sabe juntar dinheiro? Nunca é tarde para aprender e realizar aquele sonho

……………………………………………………………………………………………………………………………….

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!