Atualizado em: 30 de novembro de 2020

Médica especialista em saúde da mulher explica que as mulheres se tornaram tão ocupadas, tão sobrecarregadas de tarefas, e que isso afeta a sua saúde e menopausa

Tantas lutas e conquistas marcam a geração das mulheres 50+!

Os avanços dos últimos 100 anos impactaram profundamente essas mulheres desde a sua juventude. Mas, também tornaram-se um fardo pois o acúmulo de tarefas acabou sobrecarregando a mulher e impactando sua menopausa.  

Na luta por direitos fundamentais, a mulher conquistou o direito de votar, por exemplo. No Brasil, isso aconteceu em 1932. Ao longo das décadas, os movimentos feministas também conquistaram direitos no trabalho, no acesso à saúde e à educação e direitos reprodutivos. Todos precisando ainda de aperfeiçoamento, claro.

Como as conquistas econômicas e sociais da mulher afetam sua saúde e menopausa
Dra. Ghazala Aziz-Scott: Como as conquistas econômicas e sociais da mulher afetam sua saúde e menopausa

Em um artigo, a médica Dra. Ghazala Aziz-Scott, especialista em saúde feminina integrativa nos Estados Unidos, explica como nossas vidas tão ocupadas afetaram nossa saúde e a menopausa.

A médica explica que a revolução econômica e social feminina resultou em mulheres sobrecarregadas.

“A mensagem da supermulher dos anos 1970 de “você pode ter tudo” se tornou um sonho falso. As mulheres acabaram sobrecarregas trabalhando longas horas, arcando com a maior parte da responsabilidade doméstica em um mundo amplamente patriarcal, atrasando a procriação e, finalmente, imprensada entre crianças pequenas e pais idosos. Quase sempre, ela ainda sofre com um sentimento de culpa e exaustão. A pandemia de Covid e suas consequências também caíram no colo da mulher, em grande parte”.

Então, qual é o impacto disso em nossa saúde e nas mudanças hormonais naturais à medida que nos aproximamos do período da menopausa?

  • Menopausa
  • Pressões psicológicas
  • Efeitos metabólicos
  • Pílula anticoncepcional
  • Fertilidade
  • Dieta e estilo de vida saudáveis

Menopausa

A menopausa é definida como a ausência de menstruação por 12 meses e, como tal, significa o fim do período fértil para as mulheres. Os níveis de todos os hormônios sexuais, o estrogênio, progesterona e testosterona diminuem. A idade média da menopausa é 51. Isso é precedido por uma fase muito mais longa de desequilíbrio hormonal chamada perimenopausa e pode começar entre 4 a 8 anos antes da menopausa, podendo iniciar aos 35 em algumas mulheres, a chamada menopausa precoce.

Todos nós já ouvimos falar dos sintomas típicos da menopausa, como os suores noturnos, a insônia, ansiedade, ganho de peso, alterações da libido, alterações de humor, irritabilidade, perda de concentração e foco. É uma mudança natural que todas as mulheres experimentam, mas pode prejudicar significativamente a capacidade de funcionamento da mulher e sua qualidade de vida. Para muitas mulheres, o processo se torna opressor e desencadeia uma crise de meia-idade.

A verdade é que nossa experiência da menopausa é influenciada por uma infinidade de outros fatores, como estresse, dieta, estilo de vida, educação para a saúde, consciência de nossos corpos, expectativas culturais, relacionamentos positivos, ambiente de trabalho e suporte para aconselhamento e apoio médico.

Pressões psicológicas

Para as mulheres, a pior pressão psicológica ocorre entre os 35 e os 50 anos. A ansiedade e o baixo-astral ficam em alta, uma explosão no meio da perimenopausa. O estresse é o verdadeiro inimigo em nosso estilo de vida moderno frenético. Fomos projetados para produzir cortisol, nosso hormônio do estresse, em rajadas curtas como parte de nossa resposta de fuga e luta. Mas, isso foi sequestrado e a produção de cortisol está em alta constante. Essa inundação do hormônio representa um perigo fisiológico para nossos corpos. O cortisol está ligado à sobrevivência e quando precisamos de cortisol extra, é às custas do equilíbrio dos hormônios sexuais, resultando em ciclos menstruais irregulares ou inexistentes.

Efeitos metabólicos

O cortisol alto tem outros efeitos metabólicos. Ele pode afetar a glândula tireoide tornando nossa taxa metabólica lenta e, assim, podendo causar altos níveis de insulina e ganho de peso.

O cortisol aumenta naturalmente com a idade, então o estresse agrava esse problema, criando um ciclo vicioso e nos sabotando. O cortisol é produzido pelas glândulas supra-renais, que também produzem hormônios sexuais. Portanto, o esgotamento supra-renal devido ao estresse excessivo pode levar à diminuição de hormônios sexuais essenciais. As glândulas supra-renais são um reservatório chave para os hormônios sexuais depois que nossos ovários param de funcionar na menopausa, portanto, precisamos moderar o estresse. Todos os nossos sistemas hormonais precisam estar equilibrados para obter saúde e bem-estar ideais e tornar a transição para a menopausa o mais suave possível.

Pílula anticoncepcional

À medida que as mulheres se dedicam às suas carreiras, há um atraso inevitável no parto e é comum estender o uso de pílulas anticoncepcionais por mais de duas décadas. Na verdade, a pílula se tornou a panacéia universal para lidar com a maioria dos problemas hormonais femininos. Isso mascara o ciclo menstrual e o resultado é que as mulheres estão muito menos cientes das mudanças hormonais naturais que ocorrem na perimenopausa. A pílula geralmente não fornece estrogênio sintético suficiente, o que pode afetar o humor, e a progesterona sintética estimula outros receptores, como a testosterona e o cortisol, que desregulam a resposta ao estresse, agravando os sintomas da mudança do hormônio da meia-idade. Na verdade, o perfil do hormônio do estresse das mulheres que tomam a pílula pode imitar o do estresse crônico.

Fertilidade

As mulheres estão tendo filhos mais tarde, tanto por escolha quanto por necessidade. Os desequilíbrios hormonais relacionados à perimenopausa podem ocorrer a partir dos 35 anos. Então isso, combinado com o aumento da idade dos óvulos, significa que os tratamentos de fertilização in vitro e de fertilidade aumentaram exponencialmente. A jornada da infertilidade tem um profundo fardo emocional e psicológico. Isso pode desencadear uma resposta desregulada do cortisol, fazendo com que as alterações da perimenopausa ocorram mais cedo e com maior gravidade. Além disso, o adiamento da gestação leva a que a menopausa coincida com o desafio das crianças muito pequenas.

Dieta e estilo de vida saudáveis

Uma dieta saudável, pobre em carboidratos refinados, com boas gorduras, proteínas de qualidade e uma variedade de nutrientes encontrados em frutas e vegetais é a chave para um bom equilíbrio hormonal, especialmente na meia idade. Exercícios físicos agradáveis, moderação do consumo de álcool e técnicas de redução do estresse, como ioga e meditação, são importantes em nossa experiência geral da menopausa. Nossa capacidade de ter um estilo de vida saudável geralmente não é priorizada em uma agenda lotada e o estresse, a opressão, a falta de autocuidado e o não estabelecimento de limites firmes desempenham seu papel.

A expectativa média de vida aumentou dramaticamente no século passado e uma menina nascida em 2020 pode, estatisticamente, esperar chegar aos 100 anos de idade. As mulheres, portanto, passarão 50% de suas vidas na menopausa. 

Atualmente, há muitas pesquisas sobre os múltiplos papéis dos hormônios sexuais em nossa saúde a longo prazo, como cardiovascular, ossos e cérebro. Temos receptores de estrogênio em 300 células diferentes. A menopausa agora é definida como uma “deficiência crônica de hormônio feminino” de longo prazo que deve ser tratada. 

Também temos expectativas sociais de sermos jovens, enérgicos e sexy para sempre. Mas vale a pena viver até os 100 anos sem vitalidade e boa saúde? Mudanças estruturais na sociedade e o envelhecimento da população crescente significam que a idade de aposentadoria é agora de 68 anos, então teremos que trabalhar mais por mais tempo e talvez ter flexibilidade para abranger várias carreiras.

A conscientização e a educação sobre a importância da saúde hormonal e o impacto da menopausa são essenciais e muitas instituições progressistas estão fornecendo suporte no local de trabalho. 

Seja proativo e procure um especialista em menopausa. A reposição hormonal bioidêntica pode mudar a vida, reduzindo os sintomas e melhorando a qualidade de vida em termos de saúde a longo prazo, retardando o envelhecimento e a vitalidade.

Foto de capa: DepositPhotos

……………………………………………………………………………………………………………………………….

Quer mais histórias como essa? Inscreva-se no boletim informativo semanal SempreBem!

Compartilhe essa história com as amigas!

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!