Atualizado em: 24 de novembro de 2020

No trabalho, mais ainda depois dos 40, 50 anos, as mulheres sofrem os impactos das crises na economia e dos preconceitos. As mulheres empreendedoras estão mostrando que é possível seguir por um novo caminho.

São muitos os desafios para as mulheres quando se fala em trabalho e carreira. Mais ainda quando elas ultrapassam a marca dos 40 anos. Aos 50, pode ser ainda mais complicado pois se tornam invisíveis na sociedade.

Já percebeu como é difícil ver mulheres maduras no marketing das empresas, nos anúncios de produtos, nos cargos de chefia, por exemplo?

Além disso, a mulher ainda é vista como a principal responsável pelos cuidados com a família, filhos e pais significando que a sua jornada diária de trabalho é muito extensa.

No ambiente de trabalho, a mulher convive com desigualdades salariais e dificuldades muito maiores para alcançar cargos de chefia.

Nesse período de crise que estamos vivendo, as desigualdades aumentam. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), no primeiro trimestre de 2020, o número de mulheres que perderam o trabalho foi 25% maior que o de homens. Uma situação quase trágica se pensarmos que muitas ão chefes de família.

Pois bem, é aí que floresce um talento muito feminino: o empreendedorismo.

Qualidades como ser multitarefa, ter empatia, facilidade na convivência em grupo, entre outras, são valorizadas no empreendedorismo.

Mulheres geram emprego para outras mulheres. Imagem: Freepik.

Mulheres empreendedoras melhoram a economia

De acordo com o Sebrae de Santa Catarina, incentivar o empreendedorismo das mulheres traz muitos benefícios desde a melhoria dos aspectos sociais, educacionais, indicadores de saúde e da qualidade de vida de suas famílias.

Ainda segundo o artigo do Sebrae, o Mckinsey Global Institute realizou estudo mostrando que que a igualdade de condições de trabalho promoveria um incremento de cerca de 30% do produto interno bruto (PIB) brasileiro. Portanto, existe uma correlação positiva entre maior produtividade econômica da mulher, principalmente empresárias, e o crescimento econômico de um país. Mulheres geram emprego e oportunidades para outras mulheres fomentando uma rede de crescimento, aprendizado e crescimento.

Para ter uma ideia de como as mulheres podem ser produtivas e criativas, pesquisa do Sebrae revela que, durante a pandemia, elas se sobressaíram em relação aos homens.

O estudo mostrou que 71% das mulheres inovaram e utilizaram as redes-sociais, internet e aplicativos para movimentar seus negócios, oferecer serviços e/ou vender produtos enquanto 63% dos homens se utilizaram dessas ferramentas em seus negócios.  

Empreender aos 40, 50 anos é alternativa ao emprego

O empreendedorismo é uma alternativa para a mulher que precisa trabalhar, que gosta de desafios ou que quer realizar um sonho.

De acordo com Mórris Litvak, o CEO e fundador da Maturi, plataforma que conecta pessoas maduras e empresas, a pandemia impactou o emprego das pessoas com mais de 40, 50 anos. E que o empreendedorismo pode ser uma saída para os maduros. Mas, as pessoas precisam se atualizar.

É preciso olhar para dentro, precisa se cuidar, ter auto conhecimento, buscar propósitos, fazer planos, buscar os sonhos, projetos de vida, se motivar, se conectar com pessoas, ver que não está sozinha nesse momento, que tem muita gente boa fazendo coisas incríveis nessa idade”.

Uma visita ao site da Maturi pode te ajudar a tirar dúvidas sobre o mercado de trabalho para maduros no Brasil.

Como começar a empreender

Ter uma ideia brilhante é só o começo de um longo processo até ter um negócio próprio.

O seu contador pode te ajudar com os aspectos legais.

Mas, você terá que pesquisar muito, estudar o seu mercado e até fazer cursos.

Entidades como o Sebrae podem te ajudar com os primeiros passos. Às vezes, a Associação comercial da sua cidade também ofereça consultoria de negócios.

Abaixo, tem uma lista de sites para você pesquisar, ler, conhecer histórias de mulheres que tiveram sucesso ao empreender (é importante saber que outras conseguiram).

Se você decidiu que quer, mesmo, empreender, mergulhe na Internet para desenhar o seu negócio próprio.

Links para você visitar:

Sebrae

Maturi

Associação Comercial de São Paulo

Mulheres Empreendedoras

Empreendedoras Maduras

Meu próprio Negócio

Revista PEGN

Empreendorismo Rosa

Rede Mulher Empreendedora

Senac

Foto de capa: Freepik.

……………………………………………………………………………………………………………………………….

Quer mais histórias como essa? Inscreva-se no boletim informativo semanal SempreBem!

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!