Atualizado em: 5 de novembro de 2019

Pesquisa aponta que 83% das brasileiras não sabem que têm risco de sofrer fraturas depois da menopausa por causa da osteoporose. A maioria das mulheres desconhece as complicações da osteoporose.

As mulheres acima de 50 anos são o principal grupo de risco da osteoporose. Com a menopausa, elas ficam suscetíveis à doença. Uma em cada três mulheres nessa faixa etária sofrerá uma fratura devido à osteoporose, uma doença silenciosa que faz com que os ossos se tornem frágeis.

De acordo com uma pesquisa conduzida mundialmente com mulheres a partir dos 55 anos de idade, 80% das brasileiras com 65 anos ou mais – principal grupo de risco da doença – não acreditam que estão em perigo. Estas mulheres estão entre as milhões de pessoas que desconhecem a ameaça que a osteoporose representa atualmente.

Em nove países, incluindo o Brasil, cerca de 6 mil mulheres participaram do estudo que investigou estilo de vida, saúde e conhecimento sobre a osteoporose. 70% das 512 brasileiras entrevistadas afirmaram que conhecem ou já ouviram falar da doença, porém apenas 7% sabiam que ser do gênero feminino já é considerado um fator de risco. 44% das mulheres acreditavam que a suplementação com cálcio era suficiente para o tratamento da doença e 67% nunca haviam abordado o tema osteoporose com algum médico durante uma consulta.

Diagnóstico da osteoporose, geralmente, acontece após uma fratura

Essa é uma das razões pelas quais aproximadamente 80% das pacientes de alto risco (que já sofreram uma fratura óssea devido à osteoporose) não são diagnosticadas e não recebem tratamento para a doença – o que aumenta as chances de terem uma segunda fratura osteoporótica.

“O primeiro passo para se conscientizar sobre a osteoporose é conversar com um especialista sobre o risco individual de desenvolver a doença”, afirma Ben-Hur Albergaria, ginecologista e vice-presidente da Comissão Nacional de Osteoporose da Frebasgo – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

“A realização de exames que medem a densidade mineral dos ossos é crucial para o diagnóstico precoce, assim como para a escolha do melhor tipo de tratamento”.

Converse com seu médico sobre osteoporose em mulheres

A osteoporose pode ser prevenida, diagnosticada e tratada antes que aconteça uma fratura. Na próxima consulta com o seu médico, pergunte como se prevenir e quais são os exames necessários para determinar o nível de cálcio nos ossos.

As recomendações da Anvisa incluem ingestão adequada de cálcio (no mínimo, 1.200 mg/dia) e vitamina D, além de atividade física regular. As receitas devem ser fornecidas pelo médico, sempre.

Dicas para ajudar na prevenção ou no controle da osteoporose

  • A ingestão de cálcio é fundamental para o fortalecimento dos ossos. Adote uma dieta rica em alimentos com cálcio (leite e derivados, como iogurtes e queijos). Os médicos indicam dois copos de leite desnatado e uma fatia de queijo branco por dia;
  • Consuma verduras de folhas escuras, como brócolis, espinafre e couve;
  • Evite carne vermelha, refrigerante, café e sal;
  • Exponha-se ao sol de forma moderada. Os raios ultravioletas sobre a pele estimulam a produção de vitamina D, fundamental para a absorção do cálcio pelo organismo. Recomenda-se de 20 a 30 minutos de sol por dia, entre 6h e 11h;
  • Não fume e evite o consumo excessivo de álcool;
  • Independente da idade inicie um programa de exercícios (pode ser caminhada ou musculação, por exemplo). Entre outras vantagens, ajuda a fortalecer os músculos, melhorar o equilíbrio e os reflexos, evitando as quedas;
  • Mulheres que entraram na menopausa devem consultar um médico para começar um tratamento especial. A partir de 45 anos, devem ser submetidas a um teste de densitometria óssea.

Fontes:

Foto de capa: rawpixel/Pixabay

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!