Atualizado em: 14 de dezembro de 2020

“Escolhi falar da menopausa com bom humor porque na nossa cultura a menopausa é um assunto triste. Eu me recusei a entregar a minha alegria para a menopausa”. Leila Rodrigues – autora.

Por: Mirtes Wiermann

Quando a empresária do setor de tecnologia Leila Rodrigues começou a viver uma menopausa precoce, aos 41 anos de idade, sua vida virou um turbilhão de sintomas e de emoções.

Leila é mineira e mora em Divinópolis – MG com a família.

Ela não teve dúvidas. Pegou os limões que a vida estava lhe dando e fez uma limonada. Transformou cada sintoma da menopausa, cada situação constrangedora que teve que passar em momentos de humor. Escreveu crônicas sobre eles e colocou tudo em um livro: Hormônios, me ouçam!

Leila também se tornou palestrante pois pensou que seria bom compartilhar suas experiências com outras mulheres em encontros e palestras.

A menopausa de Leila durou oito anos. Mas, ela continua falando sobre o assunto pois é preciso criar uma nova mentalidade sobre a menopausa. Afinal, a menopausa é um evento biológico natural na vida de toda mulher e é assim que deve ser encarada.

Leila conversou com SempreBem sobre o livro e sobre menopausa.

É muito bom conhecer a experiência de outras mulheres, não é?

A grande maioria das mulheres desconhece a menopausa. E nada as prepara para o que acontece com seus hormônios depois dos 40 anos.

Leila Rodrigues diz que sua menopausa precoce foi um grande susto. Mas, com bom humor, ela virou um livro.

VEJA COMO PASSAR PELA MENOPAUSA COM BOM HUMOR

Como foi sua menopausa precoce e como ela interferiu na sua vida?

Eu tinha 41 anos quando descobri que já estava no climatério. Eu não esperava por isso naquele momento. Foi um susto muito grande! E, junto com o susto, todos os sintomas juntos.

Ela interferiu na minha vida toda. Eu tive de aprender o que era menopausa, tive de aprender a interpretar as reações do meu organismo e encontrar as saídas que davam certo para mim, naquele momento.

Foi realmente um turbilhão.

Como assim, escrever sobre menopausa com bom humor?

Eu escrevo crônicas há muitos anos e como todo escritor eu sonhava fazer um livro.

Quando chegou o momento de fazer o livro eu quis escrever sobre uma fase relevante da minha história e não houve nada mais impactante na minha vida do que ela, a minha menopausa.

A chegada da menopausa mudou a minha vida para sempre.

Eu me tornei uma estudiosa do tema, fiz dela a minha causa, me tornei palestrante dos temas Maturidade e Menopausa e escrevi o livro contando a minha história.

A escolha pelo humor se deu porque na nossa cultura a menopausa é um assunto triste, que remete à doença, finitude e velhice. E eu não me via assim! Sempre fui uma pessoa extrovertida e alegre e me recusei a entregar a minha alegria para a menopausa.

O bom humor te ajudou com os sintomas?

Sem dúvida! A falta de hormônios por si já provoca mal humor. Ficamos ranzinzas, azedas… o humor te ajuda a se enxergar de verdade e dizer, “tá tudo bem”. O humor nos ajuda a nos cobrar menos. As crônicas do meu livro são todas reais. Foram coisas que eu vivi ou atitudes que eu tomei, embaladas pela loucura do momento. Como não rir das minhas peripécias?

Quais os momentos mais difíceis que você viveu?

Quando eu percebi que tinha engordado 8 kilos. Eu, que sempre fui magra, engordei 8 kgs em 6 meses. Esse foi um baque para mim.

Nada prepara as mulheres para a menopausa. É preciso falar mais sobre ela?

Eu acho ótimo e creio que essa mudança vai se tornar parte de nossas vidas. Precisamos trazer o assunto à tona, precisamos nos informar, discutir, esclarecer e envolver as pessoas com quem convivemos no contexto.

Nossas mães e nossas avós sofreram caladas suas menopausas. Está na hora de mudarmos o rumo desta história.

Qual o seu recado para as mulheres que estão na transição da menopausa?

São dois recados breves: O primeiro, é que vai passar! O segundo é: ame-se! Agora, mais do que nunca, você precisa se colocar à frente das suas prioridades.

Para você o que é envelhecer bem?

Para mim envelhecer bem é usar a maturidade para ser a pessoa que você sempre quis ser. Envelhecer não é uma opção, ser feliz sim!

Foto de capa: Jackie Parker/Unsplash.

……………………………………………………………………………………………………………………………….

Quer mais histórias como essa? Inscreva-se no boletim informativo semanal SempreBem!

Compartilhe essa história com as amigas!

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!