Atualizado em: 22 de junho de 2020

Quando surgem as primeiras rugas de expressão corremos atrás dos cremes anti-idade e queremos saber como eles funcionam. Nada melhor do que uma conversa com a dermatologista para tirar todas as dúvidas.

Como funcionam os cremes anti-idade e como eles podem ajudar a atenuar os sinais de envelhecimento são as perguntas que nos fazemos logo que os primeiros sinais aparecem.

São tantos produtos anti-idade no mercado que fica difícil escolher. Por isso, nós conversamos com a médica dermatologista Dra. Juliana Ribeiro Fernandes, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia, para explicar o que é importante em um creme anti-idade. A médica também nos ajuda a entender como fica a qualidade da pele na chegada à maturidade.

Dra. Juliana Ribeiro Fernandes explica os benefícios dos cremes anti-idade.

Qualidade da pele na maturidade: quais os principais problemas

Neste período, em razão de alterações no perfil hormonal, podem surgir algumas repercussões na pele, além dos sintomas clássicos da menopausa e do climatério. É neste momento que as mulheres podem perceber sinais de flacidez, surgimento de rugas e linhas de expressão na face e pescoço, perda da elasticidade, manchas, ressecamento ou até oleosidade excessiva.

Muitas vezes a pele acaba se apresentando mais sensível, fina e propícia a dermatites e vermelhidões, além de manchas arroxeadas nos braços.

O papel das alterações hormonais

O declínio dos níveis de estrogênio repercutem na integridade da pele, que pode ficar mais fina, fragilizada, com piora da qualidade e firmeza. Desta forma, é possível identificar uma alteração que denominamos de atrofia cutânea, que se expressa como redução da espessura da pele. Acontece ainda maior degradação das fibras de colágeno e redução progressiva de ácido hialurônico, substância responsável, entre outras funções, pela hidratação.

Há ainda uma aceleração do envelhecimento cutâneo também decorrente de fatores ambientais como o tabagismo por exemplo e os efeitos cumulativos da radiação solar na pele que costumamos chamar de “estresse oxidativo”.

Como funcionam os cremes anti-idade

Na realidade, dispomos hoje de uma vasta gama de produtos antiaging direcionados à melhora da qualidade da pele, da textura, com ação uniformizadora, clareadora, hidratante e até para atenuação de linhas finas. Trata-se de moléculas capazes de trazer benefícios para a pele, aplicadas de forma tópica, quando bem indicadas para cada caso.

É de suma importância individualizar os ativos para a necessidade de cada pele, além da escolha ideal do veículo em que estas substâncias estão disponibilizadas.

Quais ingredientes são importantes nos cremes anti-idade

A indústria cosmética caminha a nosso favor. Então, atualmente, dispomos de inúmeras substâncias com ação anti-idade que devem ser individualizadas para as particularidades de cada pele e, portanto, de cada caso.  Uma avaliação com o dermatologista é de suma importância para o direcionamento correto dos produtos a serem utilizados.

Em linhas gerais, além do protetor solar que deve ser usado diariamente, a hidratação também representa um passo fundamental. O ácido hialurônico tem propriedades hidratantes que ajudam na melhor estruturação da pele e também atenuação de linhas finas.

Alguns ácidos podem ser úteis, como o retinóico, glicólico e o mandélico.

A vitamina C é um poderoso antioxidante, assim como o resveratrol e podem ajudar na melhora do viço e luminosidade.

A suplementação de colágeno hidrolisado via oral, na forma de peptídeos, quando associado a alguns tratamentos estéticos, também é uma opção interessante em alguns casos.

Além disso, pode-se lançar mão de procedimentos dermatológicos na tentativa de otimizar resultados. Entre os mais realizados estão :

Toxina Botulínica:  que promove relaxamento da musculatura e atenuação das rugas de expressão dinâmicas;

 – Preenchimentos com Ácido Hialurônico :  capaz de reposicionar estruturas e lapidar pontos de sustentação da face, definindo contornos, aliviando o aspecto envelhecido, como sulcos e marcas profundas, além das olheiras;

– Peelings: que tem a propriedade de renovar as camadas mais superficiais da pele;

– Bioestimuladores de Colágeno: que são procedimentos injetáveis com substâncias que estimulam a produção de colágeno objetivando a melhora da flacidez e grau de firmeza da pele;

– Lasers e outras tecnologias.

A Dra. Juliana Ribeiro Fernandes é médica dermatologista (CRM-SP 145029  | RQE 67188). É membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia SBD, possui título de Especialista em Dermatologia pela SBD e AMB, Pós Graduada em Tricologia (Doenças dos cabelos e couro cabeludo) e Onicoses ( Doenças das Unhas ) e possui Certificação em Cosmiatria & Laser.

Manter a pele mais jovial na maturidade começa com uma conversa com a dermatologista. Ela pode definir um tratamento individualizado para você e indicar os produtos adequados para o seu tipo de pele.

Foto de capa: Freepik.

Quer mais histórias como essa?
Dieta anti-rugas: alimentos antioxidantes contra os radicais livres
Como hidratar a pele seca após os 50 anos

……………………………………………………………………………………………………………………………….

Você gostou dessa matéria? Assine a nossa newsletter e receba dicas sobre bem estar e estilo de vida.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *