Atualizado em: 22 de julho de 2021

Conversamos com a Luzia Costa, que conta como venceu os desafios da mulher empreendedora mas se saiu bem no setor de beleza feminina

Sair-se bem como empreendedora é mais do que uma necessidade para milhares de mulheres no Brasil. Os desafios da mulher empreendedora são inúmeros e se misturam entre a vida familiar e o trabalho.

E foi justamente esse o tema da nossa conversa com a Luzia Costa, que deu a volta por cima várias vezes, não desanimou, construiu um negócio que vai bem e gosta de inspirar pessoas.

A gente quer saber como essas mulheres conseguem o sucesso, precisamos de referências para nos guiar e vencer os desafios da mulher empreendedora.

Muitas mulheres com mais de 50 anos estão buscando no empreendedorismo as vagas que faltam no mercado de trabalho.

Uma história para inspirar

SempreBem - Conheça a história e os desafios da mulher empreendedora
Luzia Costa

Luzia está à frente de um grupo que comanda várias franquias do setor de estética feminina, como a Sóbrancelhas. Também, tornou-se palestrante e desenvolve um projeto para mulheres menos favorecidas.

O começo não foi fácil, ela conta. A empresária foi manicure, dona de carrinho de lanches, dona de lanchonete, de pizzaria, faliu, vendeu biscoitos caseiros, produziu tomates secos. Daí, ela foi aprender a fazer massagens. Com dedicação e novos aprendizados, Luzia encontrou um caminho próspero. Criou um negócio e uma rede de franquias vencendo os desafios da mulher empreendedora.

Ela se destacou pelo profissionalismo e história de vida e conquistou prêmios, entre eles, o Prêmio Grandes Mulheres, na Categoria de Médias Empresas realizado pela revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios.

Quer saber mais e se inspirar para viver a sua própria história? A Luzia Costa nos conta como superou os desafios de uma mulher empreendedora e realizou seus projetos.

Os desafios da mulher empreendedora são muitos. A que você atribui seu sucesso?

Eu acredito que meu sucesso como empreendedora tem a ver com foco e constância. O empreendedor precisa focar 100% no negócio, acreditar sempre, e ser constante nas tentativas.

Ser mulher ajudou ou atrapalhou?

O fato de ser mulher me fez ter uma responsabilidade ainda maior em relação ao empreendedorismo, porque além de empreender com os negócios, eu precisava empreender também como família, que é na verdade o meu primeiro empreendimento. E ser esposa, mãe, dona de casa é tão desafiador quanto os negócios.

O que você recomenda para as mulheres que estão empreendendo?

A arte do empreendedorismo feminino é entender que nosso empreendimento começa dentro de casa. Passei por várias experiências, inclusive a de quebrar. Mas, isso me trouxe amadurecimento, e me fez entender que empreender vai além de muitas coisas, que é necessário buscar um conhecimento diário, desaprender e aprender a todo instante.

Minha recomendação para mulheres que querem empreender é primeiro identificar com um modelo de negócio que faça sentido na vida delas, algo que de fato irá alimentar o seu propósito de vida.

Qual a melhor coisa que aconteceu a você na vida?

A melhor coisa que aconteceu na minha vida, foi conhecer meu esposo, um parceiro que posso contar em todas as horas, um amigo que está sempre pronto para me ouvir.

Se pudesse voltar no tempo, o que faria diferente?

Se eu pudesse voltar no tempo, eu teria usufruído mais dele, como faço hoje. Estaria mais tempo perto de pessoas que infelizmente já se foram, e curtiria mais meus filhos pequenos. Afinal, a vida é um sopro, e temos poucos dias de vida pela frente, e o segredo é saber como vamos viver cada um deles.

Qual a melhor coisa que leu ultimamente?

A melhor coisa que li ultimamente foi o livro Ative seu Cérebro, da autora Dra. Caroline Leaf. Ele fala sobre o segredo de ser mais feliz, ter mais saúde e pensar melhor.

Qual a última coisa que comprou para você?

A última coisa que comprei para mim foi um livro e uma frigideira ….rsss. Eu amo ler e cozinhar para minha família e amigos próximos. É ter um tempo comigo mesma.

Você escreveu um artigo sobre aprender a dizer NÃO. O que isso significa para você e para as mulheres?

Dizer Não para mim tem a ver com autoconhecimento. As mulheres, quando aprendem isso, começam a se posicionar de uma forma mais segura. Dizer não representa liberdade de espírito. Para mim a cultura do Sim só acontece depois que você aprende a dizer Não.

10 motivos para você aprender a dizer NÃO

(Artigo de Luzia Costa)

VOCÊ CONHECE O PODER DO NÃO?

Quantas vezes nos pegamos em situações onde não queremos fazer alguma coisa, mas mesmo assim fazemos com medo de dizer Não e desagradar alguém? Você sabia que, para saber o real significado do Sim, você precisa falar Não?

Muitas vezes quando dizemos um Sim por medo de desapontar alguém, acabamos gerando em nós, um sentimento de frustração, falta de piedade e falta de autoridade, diminuindo a nós mesmas, e se tornando cada vez menos produtivas. Por isso separei algumas dicas de como você pode se livrar dos traumas do Não. Confira:

1. Dizer Não te traz posicionamento e sinceridade.

Ser sincero com as pessoas ainda é a melhor maneira de se manter posicionada. A verdade nos traz um equilíbrio, e isso faz com que as pessoas não se sintam ofendidas com o Não.

2. Dizer Não te coloca limites.

Muitas vezes, quando nos damos conta de como o Não nos faz bem, passamos a nos policiar, e dizer Não para um monte de coisas erradas que estávamos fazendo com a gente mesma. Acordando tarde, comendo errado, indo a lugares indesejados, correndo sem ter necessidade. Passamos a ter autodisciplina, porque criamos uma autoridade própria.

3. Dizer Não te faz ser amado e respeitado.

Ser amado e respeitado são necessidades do ser humano, e por isso muitas vezes dizemos Sim sem querer, por medo de dizer Não e ser rejeitado. E quando aprendemos a colocar nossa verdade, e vemos que independente do Sim ou do Não, o sentimento das pessoas não muda, passamos a nos sentir amada e respeitada, porque construímos em nós uma autoridade. Lembre-se, as pessoas não mudam com o seu Não, elas só revelam quem elas são. As pessoas que realmente gostam de você, querem a sua verdade, não seu Sim.

4. Dizer Não te faz ser ouvido na essência.

Ser generosa com você mesma, é isso que você faz quando diz Não. As pessoas olham e tendem a querer saber o porquê do Não. Assim, você consegue fazer com que as pessoas te ouçam.

Quando simplesmente damos o Sim, as pessoas não perguntam porque podemos fazer. Mas, quando dizemos Não, rapidamente tentam entender o porquê da negativa, nos dando assim a oportunidade de sermos ouvidas na essência.

5. Dizer Não te faz ganhar tempo.

Pessoas que gostam de enrolar, tendem a buscar por pessoas que não sabem falar Não. Assim, procrastinam suas obrigações, matam o tempo em volta de alguém que no fundo sabem que não tem coragem de te mandar embora, sabia disso?

Pessoas sinceras dizem que não podem atender, então rapidamente voltam para suas tarefas, sem perda de tempo, enquanto as que não sabem falar Não perdem tempo ouvindo o outro que não quer nada com nada.

6. Dizer Não não te torna mal-educado.

As pessoas acham que para dizer Não tem que ser mal-educado, tem que ser negativo, e isso não tem nada a ver. Dizer Não tem a ver com sua verdade, seu ponto de vista e é possível expor tudo isso sem ferir os sentimentos da outra pessoa.

7. Dizer Não te torna mais madura.

Quando falamos Não na hora certa, e nas situações certas, mostramos nosso grau de maturidade independente da idade. Exemplo: um jovem que fala Não para as drogas quando alguém lhe oferece, mostra o quanto ele é maduro para tornar suas próprias escolhas certas; um adulto que fala Não para uma sociedade, um negócio onde ele não se sente seguro, mostra o quanto ele está de fato preocupado em poupar essa amizade de verdade. Então o Não pode te livrar de muitos problemas futuros.

8. Dizer Não tem a ver com amor.

Quando um bebê segue engatinhando em direção ao forno quente, qual a primeira coisa que você fala? Não vai lá, porque você sabe que pode queimar.

Muitas vezes alguém que a gente ama nos pergunta algo sério, e temos medo de dar nossa opinião e a pessoa se sentir contrariada. Não falamos a verdade, deixando ela se queimar. Então dizer Não também tem a ver com amor.

9. Dizer Não tem a ver com gerar ideias.

Porque quando digo não para uma determinada situação, eu rapidamente tento ajudar essa pessoa a resolver isso de uma outra maneira, e assim surge outras ideias para solucionar o problema que eu não pude resolver naquele determinado momento.

10. Dizer Não te faz desenvolver a cultura Sim.

A cultura do Sim tem a ver com dizer Não? Como assim? Isso quer dizer que quanto mais eu me posiciono na verdade dos fatos, na honestidade com meu tempo, com o cuidado com as pessoas, enfrentando as situações de frente, falando Não para tudo que não me serve, ou que não está no meu tempo, eu digo Sim para mim. Crio a cultura do Sim me colocando em primeiro lugar da minha vida, sendo sempre minha primeira escolha, e passando a amar o próximo como a mim mesmo!

A cultura do Sim na sua vida só acontece depois que você aprende a dizer Não.

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!