Atualizado em: 22 de fevereiro de 2021

Produtos de beleza sem ingredientes de origem animal, sustentáveis e “cruelty free”. A beleza vegana já faz parte de um novo estilo de vida, para consumidores conscientes.

Quando falamos em veganismo, logo pensamos em um prato só com vegetais e grãos e nadinha de fonte animal. Mas, o veganismo é uma tendência de um novo estilo de vida que vai além da cozinha.

O veganismo influencia a moda, os produtos de beleza, produtos de limpeza, etc.

Os produtos veganos invadiram os cuidados de beleza e as empresas do setor estão investindo em lançamentos veganos e na divulgação do chamado consumo consciente.

Conversamos com o Dr. Rafael Arpini, Master em Medicina Cosmética e Envelhecimento pela Universidade de Barcelona e desenvolvedor científico da linha de dermocosméticos Scientific Skin Tecnhology. Ele nos explica muita coisa sobre a beleza vegana.

Dr. Rafael Arpini: “Cosméticos veganos não têm ingredientes de origem animal e são “cruelty free”.

AFINAL, O QUER SÃO PRODUTOS DE BELEZA VEGANOS

“A sociedade vem se empoderando de forma gradual e levando suas demandas para a indústria em busca de um consumo mais consciente. No mundo da beleza não poderia ser diferente. Produtos veganos são um claro sinal disso.

São considerados veganos os cosméticos ou produtos que não possuem ingredientes de origem animal em sua composição, incluindo leite, colágeno ou até mesmo ceras. Também são livres de testes ou exploração animal”. 

BENEFÍCIOS DOS COSMÉTICOS VEGANOS

O médico destaca como primeiro benefício dos cosméticos veganos o consumo consciente e a sustentabilidade.

“Além disso, as matérias orgânicas de origem vegetal possuem todas as propriedades necessárias para se extrair os melhores ativos com diferentes funções.

Hoje, com técnicas de bioengenharia genética, é possível extrair as melhores características, específicas de uma planta ou alga com objetivo funcional. Um exemplo chama-se Laminaria Ochruleuca, alga de mar profundo com características antiinflamatórias e de proteção da pele”. 

Beleza vegana e consumo consciente fazem parte de um novo estilo de vida. Imagem: Karolina Grabowska/Pexels

A NOVA INDÚSTRIA DOS COSMÉTICOS VEGANOS

O Dr. Rafael Arpini, desenvolvedor científico da linha de dermocosméticos Scientific Skin Tecnhology, afirma que o objetivo foi combinar os melhores ativos internacionais, extremamente concentrados, com preços mais justos para o consumidor.  

“Os produtos foram desenvolvidos com o propósito de democratizar o melhor dos tratamentos estéticos com a ideia de “luxo consciente.

Para tal, foi desenvolvida uma linha de sete séruns de tratamento. Eles são dermocosméticos, ou seja, produtos mais concentrados e que, com seus ativos farmacológicos, penetram mais profundamente na pele trazendo resultados mais visíveis”.  

PRINCIPAIS INGREDIENTES DE UM COSMÉTICO VEGANO

Os produtos de beleza veganos possuem características que atendem aos consumidores conscientes.

“Uma série de ingredientes de origem não animal, “cruelty free”, compõe os cosméticos veganos. Hoje temos como estrelas as vitaminas (A, B, C por exemplo) e os peptídeos. Estes são micromoléculas extraídas de plantas e algas capazes de altíssima penetração com pouca agressão à pele. São mais potentes e mais seguros. A Scientific trouxe, por exemplo, um dos primeiros clareadores desenhado para uso no verão.

São exemplos de ação dos peptídeos: antiinflamatória, antioxidante, clareadora,  anti-poluição e até mesmo anti-stress pela regulação do cortisol na pele.

Extratos de resveratrol, chá verde, algas de mar profundo são exemplos de base para peptídeos e vitaminas”.

BELEZA VEGANA E A PELE MADURA

Os cosméticos veganos podem ser usados por pessoas de qualquer idade.

“Encontramos na sabedoria da natureza tudo de que precisamos para desenhar um cosmético para qualquer idade. Prebióticos podem equilibrar a pele de um adolescente com acne assim como o extrato de uma maçã suiça rara tem efeito regenerador para peles mais maduras”, diz o Dr. Rafael  Arpini.

O médico explica que pesquisou conceitos da escola de beleza europeia, o que significa menos procedimentos invasivos e uma pele tratada mais natural.

“Com dermocosméticos veganos conseguimos democratizar esses resultados com excelentes resultados. Um peptídeo de ácido hialurônico de baixíssimo peso molecular é capaz de penetrar na pele, hidratar e proporcionar estímulo de colágeno com efeito “retinol-like“.

Outros peptídeos trabalham no mecanismo da acetilcolina e tem efeito “botox-like“.

Também usamos células tronco da maça com efeito regenerador para viço, flacidez e linhas.

Esses são exemplos claros de como a pele nessa faixa de idade pode se beneficiar.

 

BELEZA VEGANA EM UM NOVO ESTILO DE VIDA

Para o médico, o mercado brasileiro é muito maduro e consciente com relação à beleza vegana.

“As consumidoras estão atentas às melhores tecnologias e também exigem consciência e sustentabilidade”.

Mas, para usar cosméticos veganos é necessário ser vegana?

Não, necessariamente, explica o médico.

Quem adere à beleza vegana pode estar muito preocupada com a proteção animal e do meio ambiente”, diz ele.

“Muitas preferem os cosméticos veganos pelas propriedades, pela sustentabilidade e por serem “cruelty free“. A possibilidade de uma indústria mais madura e sem uso ou maus tratos dos animais é hoje uma tendência ligada à tecnologia com luxo mais consciente”, finaliza Dr. Rafael.

Imagem de capa: Karolina Grabowska/Pexels.

……………………………………………………………………………………………………………………………….

VEJA MAIS BELEZA

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!