Atualizado em: 12 de novembro de 2020

A apresentadora Angélica admitiu em entrevista estar na menopausa precoce. E, afirma que “a vida pode ser maravilhosa”. É mais uma famosa que contribui para as conversas sobre menopausa, que ainda é tabu pra muita gente.  

A apresentadora Angélica chamou a atenção para a menopausa precoce nessa semana. Com quase 47 anos (ela faz aniversário no dia 30 de novembro), Angelica contou ao jornal O Globo como está sendo viver esse momento de sua vida.

“Na verdade, o que descobri é que é normal e que você tem formas de viver muito bem. Porque existem formas de driblar os sintomas. Eu acho importante a mulher saber que a vida pode ser maravilhosa depois da menopausa. A gente não tem que sofrer com isso”.

A apresentadora também criticou que as pessoas não falam muito sobre a menopausa e quando falam é com o sentimento de que é o fim. “Não é”, disse Angelica na entrevista.

Claudia Raia é outra famosa que alimenta a conversa sobre menopausa.

Ela disse em uma entrevista para Sabrina Sato: “Estou apenas começando o meu 2o. ato e ele será melhor”.

Afinal, o que é a menopausa precoce?

A médica Maria Carolina Caporale Madi, do Hospital 9 de Julho, em São Paulo, explica que a menopausa é a última menstruação e ocorre quando os ovários param de produzir os hormônios.

Essa interrupção acontece entre os 45 e 55 anos de idade. Se ocorrer antes dos 45 é menopausa precoce.

“Só é considerado menopausa quando a mulher já está há um ano sem apresentar sangramento. A partir do terceiro mês sem menstruar, porém, o médico já inicia uma investigação, com a dosagem de hormônios, a partir de exames de sangue”, explica a médica.

Existem algumas causas para a menopausa precoce e que só o médico pode determinar com a realização de exames específicos.

A menopausa pode ser tardia também, quando acontece após os 55 anos de idade.

Menopausa precoce inicia antes dos 45 anos. Imagem: Jonathan Borba/Unsplash.

O que acontece nessa fase?

O período em que os ovários diminuem a produção de hormônios vai dos 40 aos 65 anos de idade, Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), chama-se climatério. Nesse período há uma diminuição na fertilidade da mulher até a menopausa, que é a última menstruação, que acontece por volta dos 51 anos de idade.

Vários fatores, biológicos e sócio-culturais, influenciam a menopausa. Geralmente, as mudanças relacionadas à menopausa se dividem nessas fases:  

  • Climatério: vai dos 40 aos 65 anos de idade, período em que os ovários diminuem a produção de hormônios.
  • Perimenopausa: período de 4 anos, em média, que antecede a menopausa, quando iniciam os sinais.
  • Menopausa: interrupção definitiva da menstruação, por volta dos 51 anos de idade.
  • Menopausa precoce: quando a interrupção da menstruação acontece antes dos 45 anos.
  • Menopausa tardia: quando a menopausa acontece após os 55 anos de idade.

Quais os sinais do início da menopausa?

O período que antecede a menopausa (última menstruação) é chamado de perimenopausa. Alguns sinais indicam o início desse processo, mas eles variam de mulher para mulher.

O mais comum é a irregularidade menstrual em cerca de 90% das mulheres.  

De acordo com a Frebasgo – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, além da irregularidade menstrual, podem ocorrer mudanças no volume do fluxo menstrual e nos sintomas pré-menstruais.

Sintomas da menopausa precoce

Os sintomas da menopausa precoce são os mesmos da menopausa. Nem todas as mulheres sentem esses sintomas, ou algum deles. Em todo o caso o ginecologista poderá fazer os exames de diagnósticos e indicar a melhor forma de lidar com os sintomas.

São eles:  

  • Ondas de calor, o popular fogacho.
  • Suores noturnos
  • Distúrbios do sono
  • Alterações de humor
  • Ansiedade, palpitações no peito
  • Dor de cabeça
  • Problemas de memória
  • Perda de libido
  • Secura vaginal
  • Aumento de peso, especialmente da gordura abdominal
  • Cansaço frequente
  • Queda de cabelo
  • Ressecamento da pele  
  • Perda de massa óssea

Tratamento da menopausa precoce

A menopausa e a menopausa precoce são irreversíveis. Fazem parte do processo biológico da mulher. Recomendações médicas podem atenuar alguns sintomas melhorando a qualidade de vida da mulher.

A Terapia de Reposição Hormonal é uma delas. Mas, ainda segundo a médica Maria Carolina Madi, a TRH é uma terapia que precisa ser avaliada entre médico e paciente.  

“Esse tipo de tratamento deve ser muito bem avaliado, pois há contraindicações para mulheres que possuem antecedentes ou riscos elevados de doenças como tromboembolia, câncer de mama e câncer de endométrio. A avaliação do médico é o mais importante antes de começar qualquer tipo de tratamento”.

A menopausa pode ser um começo

O climatério, com todas as suas fases, a perimenopausa, a menopausa precoce e a menopausa, traz muitas mudanças na vida de uma mulher.

Ele marca o fim da fertilidade feminina e a vivência de sintomas muitas vezes desagradáveis, entre outras mudanças.

Também coincide com os 50 anos, mais ou menos, quando a mulher se torna invisível na sociedade, por uma questão cultural.  

Livro sobre viver bem a menopausa é para todas as idades.

Ler e se informar é a melhor maneira de se preparar para os desafios. A premiada escritora inglesa Liz Earle lançou um livro aqui no Brasil para mulheres de qualquer idade que querem viver a menopausa da melhor maneira possível.

Pois, para algumas pessoas, esse momento pode ser um fim ….. como também um começo.

Pense nisso!

Vamos relembrar o que disse Angélica em sua entrevista.

“Existem formas de driblar os sintomas. Eu acho importante a mulher saber que a vida pode ser maravilhosa depois da menopausa. A gente não tem que sofrer com isso” – Angélica.

……………………………………………………………………………………………………………………………….

Quer mais histórias como essa? Inscreva-se no boletim informativo semanal SempreBem.

Gostou da matéria? Assine a nossa Newsletter e receba gratuitamente dicas para curtir a nova vida!